expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Mamão (mamoeiro)

Mamão (mamoeiro)

Nome científico: Carica papaya.

Sinônimos: Muda o nome segundo a variedade. Mamão-papaia, mamão-macho, etc.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Originário do México e de alguns países vizinhos, mas bastante cultivado em todo o mundo, principalmente no Brasil.

Características: É uma árvore de tronco reto, liso, quase sempre sem galhos, com folhas grandes, palmatilobadas, verde-brilhantes por cima e verde-foscas por baixo, formando uma copa densa. Flores podem ser machos, fêmeas ou hermafroditas. As flores macho dão frutos compridos e menores, as flores fêmeas dão frutos mais arredondados, mais polpudos, mais doces e maiores, enquanto as flores hermafroditas dão frutos alongados, maiores e mais doces, segundo, claro a variedade.

Ambiente: Gosta de clima quente, não suportando temperaturas abaixo de seis graus centígrados. Aprecia solos férteis, bem drenados e locais bem arejados e com excelente luminosidade.

Multiplicação: Se dá através de sementes. Como não dá para saber se o mamoeiro será macho, fêmea ou hermafrodita, antes da floração, é aconselhável semear bastante. Deixe crescer por uns 60 dias antes de plantar definitivamente.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Plantio: Escolha um local com boa luminosidade, faça uma cova de 60 x 60 centímetros, ponha três ou quatro mudas escolhidas segundo um critério de tamanho (as maiores), preencha com uma mistura de carvão vegetal, terra comum, capim seco ou esfagno e esterco de curral ou compostagem. Regue em abundância. Deixe as mudas crescerem. Quando florescerem deixe apenas uma ou duas, de preferência as que derem flor fêmea, por darem frutos de melhor qualidade.

Usos: Além de ser um fruto saboroso, é utilizado para afzer doces, vitaminas, saladas, além de ser utilizado na medicina caseira como suavizante das funções intestinais, por exemplo.

Adubação: Faça adubação orgânica com esterco de curral ou compostagem. Afofe a terra ao redor da planta, na medida da copa, coloque o adubo e regue em abundância. Faça isso de seis em seis meses.

Ótimo cultivo!




terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Maracujá

Maracujá

Nome científico: Existe uma grande quantidade de variedades. Entre elas: Passiflora edulis (usada para sucos) e Passiflora alata (variedade doce).

Sinônimos: Maracujá-doce, maracujá-azedo, maracujina, etc. Esses nomes se alteram segundo a variedade.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma planta trepadeira vigorosa. O tronco é quandrangular. Folhas ovadas ou palmatilobadas, verde-brilhantes, flores grandes, solitárias, de cálice verde por fora e branco por dentro e, sobre o cálice, um círculo de pétalas lanceoladas. O fruto varia de tamanho segundo a variedade. O período de maior produção é primavera/verão.

Multiplicação: Por sementes. Plante em saquinhos especiais para mudas. Levam entre 60 e 80 dias para emitirem a primeira gavinha. estão prontas para plantio definitivo entre 90 e 100 dias.

Plantio: Deve ser feito perto de uma árvore mais baixa, em caramanchões ou espaldeira com 2 metros de altura e fios lisos colocados em número de 7 a 10, para que ela possa subir e se desenvolver. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, ponha a muda e preencha com uma mistura de terra comum, carvão vegetal e adubo orgânico, como esterco de curral ou compostagem.




    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Poda: A poda é apenas poda de formação, a fim de controlar a quantidade de luz que atinja a planta, principalmente em caracamanchões, pois a planta pode fechar a luminosidade e ter seu rendimento prejudicado.

Adubação: Deve ser orgânica. Use esterco de curral ou compostagem. Afofe a terra uns 40 centímetros ao redor da base da planta e despeje bastante adubo. Faça isso de três em três meses.

Regas: Devem ser constantes, diárias, se possível.

Usos: Além de ser um fruto saboroso, é utilizado na produção de sucos, geléias, doces, etc. Também é utilizado na medicina doméstica como calmante.

Ótimo cultivo!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2015

Pêssego (pessegueiro)

Pêssego (pessegueiro)

Nome científico: Prunus persica.

Sinônimos: Não possui.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: China e sul da Ásia. Antigamente acreditava-se que era originário da Pérsia (daí seu nome persica). Isso se deu porque era mercantilizada pelos persas.

Características: É uma árvore de até 3 metros de altura, bastante esgalhada, com folhas lanceoladas, verde-brilhantes, flores róseas, delicadas e fruto arredondado, de polpa abundante e semente dura, amadeirada.

Ambiente: Gosta de ambientes quentes, bem ventilados e boa luminosidade, sol direto.

Tipo de solo: Aprecia solos férteis e bem drenados.

Multiplicação: Por sementes. Antes de plantar é bom deixar a semente de molho numa mistura de NPK 04-14-08, na proporção de 1 grama por litro de água, durante uma semana. Encha um saquinho para mudas com uma mistura de terra, carvão vegetal e esterco de curral, enfie a semente uns 5 centímetros, e regue em abundância. pode levar até 60 dias para germinar.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Plantio: Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, ponha a muda, preencha com uma mistura de terra comum, carvão vegetal, capim seco ou esfagno e esterco de curral ou compostagem. Prefira plantar no período chuvoso, pois, isso facilita a adaptação da muda.

Adubação: Faça adubação orgânica, utilizando esterco de curral ou compostagem. afofe a terra ao redor da planta, no diâmetro da sua copa, e despeje o adubo, regando em seguida. Essa adubação pode ser feita duas vezes por ano.

Bom cultivo!

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Pitanga

Pitanga

Nome científico: Eugenia uniflora.

Sinônimos: Cerejeira-brasileira, pitanga-vermelha e pitanga-do-mato.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: Mata atlântica brasileira.

Ambiente: Quente e com boa luminosidade. Solos férteis e bem drenados.

Características: É uma árvore de até 4 metros de altura, bem esgalhada, folhas simples, opostas, ovadas, verde-brilhantes. Flores pequenas e frutos vermelhos, arredondados.

Plantio: Faça a semeadura em sacos para mudas com uma mistura de terra, carvão vegetal, capim seco e adubo orgânico. Coloque duas sementes a dois centímetros de profundidade, regue periodicamente e mantenha à sombra. Deixe a muda desenvolver até os seis meses. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros num local planejado, ponha a muda, coloque a mesma mistura de terra utilizada na fabricação da muda e regue abundantemente.



                      Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Usos: Além de ser uma fruta saborosa, a pitanga pode ser utilizada na fabricação de doces, geleias, sucos. É muito útil à saúde porque possui vitaminas A, C, complexo B, ferro e fósforo.

Ótimo cultivo a todos!

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Jambo

Jambo

Nome científico: Zizigium jambos.

Sinônimos: Jambo-amarelo, jambo-cheiroso.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma árvore de até 12 metros de altura, bastante esgalhada, com folhas lanceoladas, verde-brilhantes. Seu fruto é arredondado, amarelo-róseo, polpa carnuda e suavemente doce, delicioso.

Ambiente: Gosta de clima quente, solos férteis, bem drenados. Locais bem ventilados e boa luminosidade, de preferência sol pleno.

Como plantar: Faça mudas usando as sementes (de fácil germinação). Utilize sacos específicos para mudas. Encha com uma mistura de terra comum, carvão, capim seco e esterco de curral ou compostagem. Coloque duas sementes a uns três centímetros de profundidade, regue em abundância e mantenha à sombra. Deixe desenvolver por pelo menos seis meses.
Quando for fazer o plantio definitivo, escolha um local aberto e bem espaçoso. Faça uma cova de 80 x 80 centímetros, coloque a muda e complete com uma mistura igual a mencionada acima. Regue abundantemente ou dê preferência para o platio em época chuvosa. Isso facilita a ambientação da planta.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: Deve ser semestral. Utilize adubo orgânico, como esterco de curral ou compostagem. Afofe a terra na circunferência da copa e aplique o adubo, regando em seguida.

Usos: Além de o fruto in natura ser saboroso, é utilizado para afzer doces e geleias. Também é usado na medicina popular no combate a tooses e catarro nos pulmões, um xarope feito com sua polpa.

Bom cultivo para todos!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Romã (romanzeira)

Romã (romanzeira)

Nome científico: Punica granatum.

Origem: Oriente médio.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma árvore de até 3 metros de altura, efusivamente esgalhada, com folhas pequenas, verde-amareladas, flores vermelhas e frutos redondos, amarelo-avermelhados.

Ambiente: Gosta de ambientes quentes, solos férteis, bem drenados, luminosidade intensa.

Multiplicação: Por sementes. É uma smenete de fácil germinação, não exigindo grandes cuidados. Pegue sacos de plástico específicos para muda, preencha com terra comum e coloque duas ou três sementes enterradas a 2 centímetros de profundidade. Regue diariamente.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Plantio: Pode ser feito diretamente no solo ou em vasos. No solo, faça uma cova de 40 x 40 centímetros, ponha a muda e preencha com uma mistura de terra, carvão vegetal, capim seco e adubo de curral ou compostagem. Regue abundantemente.
Em vasos, coloque cacos de telhas ou tijolos no fundo para fazer uma boa drenagem, ponha a muda e preencha com a mesma mistura acima.

Usos: Além de ser um fruto saboroso, pode ser usado para fazer geleias e sucos. É um excelente antioxidante. Além do mais, a casca do fruto é usada na medicina popular como antibiótico, nos casos com inflamação de garganta, por exemplo.
Ótimo cultivo para todos!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Jabuticaba (jabuticabeira)

Jabuticaba (jabuticabeira)

Nome científico: Plinia cauliflora, Eugenia cauliflora, Eugenia jaboticaba, Myrcia jaboticaba e Myrtus cauliflora.

Ocorrência: É nativa da mata atlântica e matas de galeria brasileiras, nos estados de Goiás, Espírito Santo, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Pernanbuco, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul e bastante cultivada em todo o país.



                      Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Sinônimos: Fruta e guapuru.

Características: É uma árvore de porte médio, podendo chegar aos 10 metros de altura, bastante esgalhada, tronco liso, troca de casca sempre que vai florescer ou puxar novas guias, folhas pequenas, verde-escuras, flores pequenas, branco-amareladas, fruto redondo, que varia de tamanho conforme a espécie, normalmente vinho-enegrecido

Ambiente: Quente e com bastante luminosidade. Gosta de solos férteis e bem drenados.

Usos: O fruto in natura é saborosissimo, mas é empregada também na fabricação de vinhos, geléias, doces, sucos e utilizada para vários fins terapêuticos, além de ser um poderoso antioxidante.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Formas de cultivo: Pode-se fazer mudas a partir de sementes, mas vai levar entre 10 e 15 anos para frutificar. Existem outras técnicas que podem ser utilizadas que abreviam esse tempo para dois ou três anos. A alporquia, por exemplo, consiste em escolher um galho de uma planta adulta, raspar a casca, fazer uma "bola de terra" ao seu redor e proteger com plástico. Assim ela emitirá raízes nesse ponto. Depois de uns seis meses, efetua-se o corte desse galho e planta-se em local fixo. Outra técnica é a estaquia, que consiste em usar uma muda feita com semente como base, cortar um de seus galhos e substituir por um broto de uma planta adulta. Esse broto é colocado no local do corte do broto original e amarrado com plástico. Em torno de seis meses ele já estará cicatrizado e crescendo normalmente. Nesse estágio, os galhos originais da planta mãe, são retirados e deixado apenas o galho do adulto implantado.

Como plantar: Faça uma cova de 60 x 60 centímetros, ponha amuda e cubra as suas raízes com uma mistura de terra, carvão vegetal, capim seco e adubo de curral. Molhe abundadantemente, inclusive as folhas.

Adubação: Dê preferência por adubação orgânica, feita de seis em seis meses, afofando se a terra no diâmetro da copa e colocando esterco de curral ou compostagem. É bom manter folhas ao redor do seu tronco, protegendo o solo e suas raízes.



Ótimo cultivo para todos!

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Acerola

Acerola

Nome científico: Malpighia emarginata e  malpighia glabra.

Sinônimos: Cerejeira-do-pará, cerejeira-de-barbados e cerejeira-das-antilhas.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Variedades: Existem muitas variedades da espécie, sendo as principais delas: Manoa Sweet e Rubi-tropical (doces), Rainha do havaí (ácida) e Jumboa-vermelho (frutos grandes que variam do vermelho-cereja ao vermelho púrpura).

Características: É uma árvore com média de altura de 3 metros, bastante esgalhada, com galhos até se entrelaçando, folhas simples, na maioria das espécies, verde-brilhantes. Frutos redondos que podem variar de 2 a 4 centímetros de diâmetro, dependendo da variedade.

Ambiente: Gostam de clima quente, solos férteis, bem drenados.

Luminosidade: Intensa. Melhor cultivar em sol pleno.




    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Como plantar: Adquira mudas de boa procedência ou faça você mesmo suas mudas através de sementes ou estaquia. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, introduza a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal, capim seco e esterco de curral ou compostagem. Regue em abundância. Pode ser cultivada, para quem tem pouco espaço, em vasos.

Adubação: Pode ser feita semestralmente, usando-se, de preferência, adubos orgânicos. Afofe a terra ao redor, na circunferência da copa, espalhe o adubo e regue. Pode-se usar também adubos químicos, desde que seja obedecida a dosagem recomendada pelo fabricante. Esses adubos quando mal manipulados podem acabar "queimando" sua planta.

Nível de cultivo: Fácil.

Bom cultivo para o leitor!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Caju (cajueiro)

Caju (cajueiro)

Nome científico: Anacardium occidentale.

Sinônimos: Não possui.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Norte e Nordeste brasileiros.

Ambiente: Gosta de solos médios (de férteis a semi-ácidos), bem drenados, clima quente e locais bem iluminados.

Características: É uma árvore bem esgalhada, tronco liso, que pode chegar a 8 metros de altura, com folhas obovais, simples, verde-brilhantes. Floresce no início da primavera e frutifica logo em seguida. É uma árvore de desenvolvimento rápido, frutificando em torno dos dois anos. O fruto, propriamente dito é a castanha. A polpa é apenas um pendúnculo floral.

Como plantar: Faça você mesmo suas mudas, plantando as castanhas em sacos plásticos com uma mistura de terra vegetal e terra comum. Enfie a castanha uns três centímetros com a parte curva virada para cima ou em pé, com a parte menor para cima, para facilitar a germinação. Depois de três meses a muda já pode ir para o local definitivo. Escolha um local bem iluminado e aerado para que possa se desenvolver com qualidade. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, coloque a muda e cubra com uma mistura de terra, carvão vegetal e capim seco. Regue em abundância ou d~e preferência para plantar na época de chuvas, para afcilitar a adaptação da muda.



    Foto:Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: Dê preferência para adubos orgânicos como esterco de curral ou compostagem. Afofe os solo ao redor do cajueiro e aplique de três em três meses.

Usos: Os frutos, as castanhas, são servidas depois de secas e algumas vezes, torrados. Os pseudofrutos são consumidos in natura, em sucos e bebidas como a cajuína e em doces. As folhas são utilizadas na medicina popular como diuréticas, por exemplo.

Ótimo cultivo para todos!


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Tangerina

Tangerina

Nome científico: Citrus reticulata.

Sinônimos: Mexerica, mixirica, bergamota.



                               
    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem:  Ásia e Austrália.

Características: É uma árvore de até 4 metros de altura, bastante esgalhada, ramos delgados, folhas simples, verde-brilhantes, flores brancas e frutos arredondados, meio enrugados, com a casca que se solta facilmente da polpa. Existem muitas variedades do fruto, inclusive alguns híbridos, que podem variar de tamanho e textura.

Como plantar: Compre uma muda de viveiro idôneo ou faça você mesmo as suas mudas a partir de sementes. Para semear, use uma mistura de terra, carvão e uma fibra qualquer, encha os sacos específicos para muda, coloque umas duas sementes, enfie uns dois centímetros dentro da terra, regue e deixe à sombra. 
Depois de crescida a muda, faça uma cova de 40 x 40 centímetros, coloque a muda com o torrão e cubra com uma mistura idêntica à da semeadura. A melhor época para o plantio é a estação das chuvas, pois, proporciona rega natural e possibilita a ambientação da planta ao novo habitat.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: A melhor adubação é a orgânica, usando-se esterco de curral ou terra vegetal 2 vezes por ano.

Usos: Além de ser um fruto muito saboroso para ser consumido in natura, pode ser consumido em forma de sucos, geléias, doces e chás, uma vez que é usada na medicina popular como remédio para gripes e resfriados.

Bom cultivo a todos!




terça-feira, 6 de outubro de 2015

Limão (limoeiro)

Limão (limoeiro)

Nome científico: Citrus limonum.

Sinônimos: Existem variedades de limão como o limão-galego, limão-cravo, limão siciliano, etc.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: É uma planta cultivada com facilidade em todo o mundo.

Características: Em geral, são plantas de até 5 metros de altura, bastante esgalhadas, ramos espinhosos, folhas alternas, oblongas, luzentes, normalmente, verde-brilhantes. Flores numerosas, em cachos, brancas por dentro, tingidas levemente de vermelho-violáceo por fora. O fruto é ovoide, e quando maduro varia entre verde a amarelo-claro, dependendo da variedade.

Como cultivar: As mudas podem ser adquiridas em floriculturas ou viveiros especializados. Faça uma cova de 40 centímetros por 40 centímetros, retire a planta de sua embalagem plástica, coloque dentro da cova e cubra com uma mistura de terra coum, carvão vegetal, capim ou qualquer outra fibra e esterco animal. Regue abundantemente.
Também pode ser cultivado em vasos. As regas devem ser cuidadosas.




    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Adubação: A adubação deve pode ser orgânica (recomendável) ou química. A orgânica pode ser feita trimestralmente, enquanto que a química pode ser bimestralmente e exige uma maior experiência de aplicação.

Usos: Além dos usos domésticos na preparação de sucos e doces, olimão é empregado na medicina popular para males do estômago e intestino, gripes e resfriados, tosses, etc.

Ótimo cultivo a todos!

sábado, 26 de setembro de 2015

Abacate (abacateiro)

Abacate (abacateiro)

Nome científico: Persea americana.

Origem: América Central e México, mas muito cultivada no Brasil.

Sinônimos: Abacado e aguacate (em espanhol).


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma árvore de porte médio, chegando a 30 metros de altura, tronco enrugado, madeira macia e frágil, bem esgalhada, folhas simples, inteiras, verde-escuras ou verde-brilhantes, dependendo da variedade.

Ambiente: Gosta de clima quente, solos férteis, bem drenados.

Luminosidade: Sol pleno.

Frutificação: Acontece na primavera-verão, seus frutos possuem várias formas, desde arredondados até periformes, dependendo da variedade. São, na maioria, de polpa carnosa, saborosos. São ótima fonte de bom colesterol, mas seu consumo deve ser moderado pelo fato de ser bastante calórico, possuindo cerca de 160 calorias por cada 100 gramas de polpa. Existem alguns pratos típicos do méxico, como a guaca mole, feitos à base da sua polpa.

Aplicações: É usado na medicina popular como remédio para hipertensão e como diurético.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Como fazer o plantio: Faça uma cova circular  de 60 centímetros de profundidade e mesmo diâmetro, coloque a muda e preencha com uma mistura de terra,  adubo orgânico e capim seco. É importante salientar que é uma planta que exige bastante espaço. Regue diariamente.

Adubação: Pode ser feita com adubo orgânico (a mais indicada) ou usando-se adubo químico de boa procedência, fazendo-se um sulco ao seu redor com, aproximadamente, 80 centímetros de distância.

Ótimo cultivo e bons frutos!