expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Acerola

Acerola

Nome científico: Malpighia emarginata e  malpighia glabra.

Sinônimos: Cerejeira-do-pará, cerejeira-de-barbados e cerejeira-das-antilhas.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Variedades: Existem muitas variedades da espécie, sendo as principais delas: Manoa Sweet e Rubi-tropical (doces), Rainha do havaí (ácida) e Jumboa-vermelho (frutos grandes que variam do vermelho-cereja ao vermelho púrpura).

Características: É uma árvore com média de altura de 3 metros, bastante esgalhada, com galhos até se entrelaçando, folhas simples, na maioria das espécies, verde-brilhantes. Frutos redondos que podem variar de 2 a 4 centímetros de diâmetro, dependendo da variedade.

Ambiente: Gostam de clima quente, solos férteis, bem drenados.

Luminosidade: Intensa. Melhor cultivar em sol pleno.




    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Como plantar: Adquira mudas de boa procedência ou faça você mesmo suas mudas através de sementes ou estaquia. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, introduza a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal, capim seco e esterco de curral ou compostagem. Regue em abundância. Pode ser cultivada, para quem tem pouco espaço, em vasos.

Adubação: Pode ser feita semestralmente, usando-se, de preferência, adubos orgânicos. Afofe a terra ao redor, na circunferência da copa, espalhe o adubo e regue. Pode-se usar também adubos químicos, desde que seja obedecida a dosagem recomendada pelo fabricante. Esses adubos quando mal manipulados podem acabar "queimando" sua planta.

Nível de cultivo: Fácil.

Bom cultivo para o leitor!

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Caju (cajueiro)

Caju (cajueiro)

Nome científico: Anacardium occidentale.

Sinônimos: Não possui.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: Norte e Nordeste brasileiros.

Ambiente: Gosta de solos médios (de férteis a semi-ácidos), bem drenados, clima quente e locais bem iluminados.

Características: É uma árvore bem esgalhada, tronco liso, que pode chegar a 8 metros de altura, com folhas obovais, simples, verde-brilhantes. Floresce no início da primavera e frutifica logo em seguida. É uma árvore de desenvolvimento rápido, frutificando em torno dos dois anos. O fruto, propriamente dito é a castanha. A polpa é apenas um pendúnculo floral.

Como plantar: Faça você mesmo suas mudas, plantando as castanhas em sacos plásticos com uma mistura de terra vegetal e terra comum. Enfie a castanha uns três centímetros com a parte curva virada para cima ou em pé, com a parte menor para cima, para facilitar a germinação. Depois de três meses a muda já pode ir para o local definitivo. Escolha um local bem iluminado e aerado para que possa se desenvolver com qualidade. Faça uma cova de 40 x 40 centímetros, coloque a muda e cubra com uma mistura de terra, carvão vegetal e capim seco. Regue em abundância ou d~e preferência para plantar na época de chuvas, para afcilitar a adaptação da muda.



    Foto:Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: Dê preferência para adubos orgânicos como esterco de curral ou compostagem. Afofe os solo ao redor do cajueiro e aplique de três em três meses.

Usos: Os frutos, as castanhas, são servidas depois de secas e algumas vezes, torrados. Os pseudofrutos são consumidos in natura, em sucos e bebidas como a cajuína e em doces. As folhas são utilizadas na medicina popular como diuréticas, por exemplo.

Ótimo cultivo para todos!


segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Tangerina

Tangerina

Nome científico: Citrus reticulata.

Sinônimos: Mexerica, mixirica, bergamota.



                               
    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem:  Ásia e Austrália.

Características: É uma árvore de até 4 metros de altura, bastante esgalhada, ramos delgados, folhas simples, verde-brilhantes, flores brancas e frutos arredondados, meio enrugados, com a casca que se solta facilmente da polpa. Existem muitas variedades do fruto, inclusive alguns híbridos, que podem variar de tamanho e textura.

Como plantar: Compre uma muda de viveiro idôneo ou faça você mesmo as suas mudas a partir de sementes. Para semear, use uma mistura de terra, carvão e uma fibra qualquer, encha os sacos específicos para muda, coloque umas duas sementes, enfie uns dois centímetros dentro da terra, regue e deixe à sombra. 
Depois de crescida a muda, faça uma cova de 40 x 40 centímetros, coloque a muda com o torrão e cubra com uma mistura idêntica à da semeadura. A melhor época para o plantio é a estação das chuvas, pois, proporciona rega natural e possibilita a ambientação da planta ao novo habitat.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: A melhor adubação é a orgânica, usando-se esterco de curral ou terra vegetal 2 vezes por ano.

Usos: Além de ser um fruto muito saboroso para ser consumido in natura, pode ser consumido em forma de sucos, geléias, doces e chás, uma vez que é usada na medicina popular como remédio para gripes e resfriados.

Bom cultivo a todos!




terça-feira, 6 de outubro de 2015

Limão (limoeiro)

Limão (limoeiro)

Nome científico: Citrus limonum.

Sinônimos: Existem variedades de limão como o limão-galego, limão-cravo, limão siciliano, etc.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Ocorrência: É uma planta cultivada com facilidade em todo o mundo.

Características: Em geral, são plantas de até 5 metros de altura, bastante esgalhadas, ramos espinhosos, folhas alternas, oblongas, luzentes, normalmente, verde-brilhantes. Flores numerosas, em cachos, brancas por dentro, tingidas levemente de vermelho-violáceo por fora. O fruto é ovoide, e quando maduro varia entre verde a amarelo-claro, dependendo da variedade.

Como cultivar: As mudas podem ser adquiridas em floriculturas ou viveiros especializados. Faça uma cova de 40 centímetros por 40 centímetros, retire a planta de sua embalagem plástica, coloque dentro da cova e cubra com uma mistura de terra coum, carvão vegetal, capim ou qualquer outra fibra e esterco animal. Regue abundantemente.
Também pode ser cultivado em vasos. As regas devem ser cuidadosas.




    Foto: Evandro Carlos Ferreira dos Santos


Adubação: A adubação deve pode ser orgânica (recomendável) ou química. A orgânica pode ser feita trimestralmente, enquanto que a química pode ser bimestralmente e exige uma maior experiência de aplicação.

Usos: Além dos usos domésticos na preparação de sucos e doces, olimão é empregado na medicina popular para males do estômago e intestino, gripes e resfriados, tosses, etc.

Ótimo cultivo a todos!