expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Jambo

Jambo

Nome científico: Zizigium jambos.

Sinônimos: Jambo-amarelo, jambo-cheiroso.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma árvore de até 12 metros de altura, bastante esgalhada, com folhas lanceoladas, verde-brilhantes. Seu fruto é arredondado, amarelo-róseo, polpa carnuda e suavemente doce, delicioso.

Ambiente: Gosta de clima quente, solos férteis, bem drenados. Locais bem ventilados e boa luminosidade, de preferência sol pleno.

Como plantar: Faça mudas usando as sementes (de fácil germinação). Utilize sacos específicos para mudas. Encha com uma mistura de terra comum, carvão, capim seco e esterco de curral ou compostagem. Coloque duas sementes a uns três centímetros de profundidade, regue em abundância e mantenha à sombra. Deixe desenvolver por pelo menos seis meses.
Quando for fazer o plantio definitivo, escolha um local aberto e bem espaçoso. Faça uma cova de 80 x 80 centímetros, coloque a muda e complete com uma mistura igual a mencionada acima. Regue abundantemente ou dê preferência para o platio em época chuvosa. Isso facilita a ambientação da planta.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Adubação: Deve ser semestral. Utilize adubo orgânico, como esterco de curral ou compostagem. Afofe a terra na circunferência da copa e aplique o adubo, regando em seguida.

Usos: Além de o fruto in natura ser saboroso, é utilizado para afzer doces e geleias. Também é usado na medicina popular no combate a tooses e catarro nos pulmões, um xarope feito com sua polpa.

Bom cultivo para todos!

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

Romã (romanzeira)

Romã (romanzeira)

Nome científico: Punica granatum.

Origem: Oriente médio.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Características: É uma árvore de até 3 metros de altura, efusivamente esgalhada, com folhas pequenas, verde-amareladas, flores vermelhas e frutos redondos, amarelo-avermelhados.

Ambiente: Gosta de ambientes quentes, solos férteis, bem drenados, luminosidade intensa.

Multiplicação: Por sementes. É uma smenete de fácil germinação, não exigindo grandes cuidados. Pegue sacos de plástico específicos para muda, preencha com terra comum e coloque duas ou três sementes enterradas a 2 centímetros de profundidade. Regue diariamente.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Plantio: Pode ser feito diretamente no solo ou em vasos. No solo, faça uma cova de 40 x 40 centímetros, ponha a muda e preencha com uma mistura de terra, carvão vegetal, capim seco e adubo de curral ou compostagem. Regue abundantemente.
Em vasos, coloque cacos de telhas ou tijolos no fundo para fazer uma boa drenagem, ponha a muda e preencha com a mesma mistura acima.

Usos: Além de ser um fruto saboroso, pode ser usado para fazer geleias e sucos. É um excelente antioxidante. Além do mais, a casca do fruto é usada na medicina popular como antibiótico, nos casos com inflamação de garganta, por exemplo.
Ótimo cultivo para todos!

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Jabuticaba (jabuticabeira)

Jabuticaba (jabuticabeira)

Nome científico: Plinia cauliflora, Eugenia cauliflora, Eugenia jaboticaba, Myrcia jaboticaba e Myrtus cauliflora.

Ocorrência: É nativa da mata atlântica e matas de galeria brasileiras, nos estados de Goiás, Espírito Santo, Paraná, Minas Gerais, São Paulo, Bahia, Pernanbuco, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul e bastante cultivada em todo o país.



                      Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Sinônimos: Fruta e guapuru.

Características: É uma árvore de porte médio, podendo chegar aos 10 metros de altura, bastante esgalhada, tronco liso, troca de casca sempre que vai florescer ou puxar novas guias, folhas pequenas, verde-escuras, flores pequenas, branco-amareladas, fruto redondo, que varia de tamanho conforme a espécie, normalmente vinho-enegrecido

Ambiente: Quente e com bastante luminosidade. Gosta de solos férteis e bem drenados.

Usos: O fruto in natura é saborosissimo, mas é empregada também na fabricação de vinhos, geléias, doces, sucos e utilizada para vários fins terapêuticos, além de ser um poderoso antioxidante.



    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Formas de cultivo: Pode-se fazer mudas a partir de sementes, mas vai levar entre 10 e 15 anos para frutificar. Existem outras técnicas que podem ser utilizadas que abreviam esse tempo para dois ou três anos. A alporquia, por exemplo, consiste em escolher um galho de uma planta adulta, raspar a casca, fazer uma "bola de terra" ao seu redor e proteger com plástico. Assim ela emitirá raízes nesse ponto. Depois de uns seis meses, efetua-se o corte desse galho e planta-se em local fixo. Outra técnica é a estaquia, que consiste em usar uma muda feita com semente como base, cortar um de seus galhos e substituir por um broto de uma planta adulta. Esse broto é colocado no local do corte do broto original e amarrado com plástico. Em torno de seis meses ele já estará cicatrizado e crescendo normalmente. Nesse estágio, os galhos originais da planta mãe, são retirados e deixado apenas o galho do adulto implantado.

Como plantar: Faça uma cova de 60 x 60 centímetros, ponha amuda e cubra as suas raízes com uma mistura de terra, carvão vegetal, capim seco e adubo de curral. Molhe abundadantemente, inclusive as folhas.

Adubação: Dê preferência por adubação orgânica, feita de seis em seis meses, afofando se a terra no diâmetro da copa e colocando esterco de curral ou compostagem. É bom manter folhas ao redor do seu tronco, protegendo o solo e suas raízes.



Ótimo cultivo para todos!