expr:class='"loading" + data:blog.mobileClass'>

sexta-feira, 25 de março de 2016

Castanha-do-Maranhão

Castanha-do-Maranhão

Nome científico: Pachira aquatica e Pachira glabra.

Sinônimos: Munguba, cacau-selvagem, castanheira-da-água e mamorana, castanha-da-Guiana.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Origem: América-do-Sul e América-Central.

Bioma: Mata atlântica.

Ambiente: Quente e úmido.



    Foto: Maria do Carmo Silva


Luminosidade: Sol pleno.

Características: É uma árvore de até 7 metros de altura, com esgalhamento médio, bastante folhada, com folhas palmadas, oblanceoladas, verde-brilhantes, tronco liso, esverdeado. As flores são hermafroditas, em forma de cone. Os frutos são parecidos com o fruto do cacau, com castanhas com média de 2 centímetros, amarronzadas, com estrias claras longitudinais.

Tipo de solo: Solos férteis, bem drenados.

Multiplicação: Por sementes. Levam de 15 a 30 dias para nascerem. As mudas ficam prontas para plantio com cerca de seis meses.


    Foto: Daniel Carvalho Gonçalves


Plantio: Faça uma cova de 60 centímetros de largura por 60 centímetros de profundidade, ponha a muda e complete com uma mistura de terra comum, carvão vegetal, capim seco e esterco de curral ou compostagem. Para melhor adaptação da planta ao ambiente definitivo, sugerimos que seja plantada na época chuvosa ou, então, que seja regada abundantemente nos 10 primeiros dia após o plantio. As plantas começam a frutificar com cerca de três anos.

Adubação: Utilize adubos orgânicos como esterco de curral ou compostagem duas vezes por ano.

Usos: A castanha pode ser consumida in natura ou em forma de pó que lembra um achocolatado. Para fazê-lo leve as castanhas ao forno e deixe assar por uma meia hora. Descasque e bata tudo no liquidificador. Em seguida passe por uma peneira fina. Já está pronto para consumo. Tome com leite e açúcar. Ótimo sabor.
Ótimo cultivo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário